Clarice Maia Scotti

marcelo tas e a publicidade no twitter

quem usa o twitter dificilmente deve ter escapado da discussão sobre o "twit pago" do marcelo tas. um mimimi sem fim, gente dizendo que o cara vendeu a alma pro capeta e outras infantilidades tamanhas que eu nem dei minha opinião por lá, achei que seria um desperdício dos meus valiosos 140 caracteres.

mas aí ontem eu ouvi esse podcast com uma entrevista com o marcelo tripoli, da agência ithink, que planejou a campanha, e fiquei devaneando e resolvi tentar parir um post. porque ele explica o conceito da campanha (de novo, aliás) e é uma idéia bem bacana, que não tem absolutamente nada de antiético, como muitos paladinos da moral e dos bons costumes tanto acusaram.

eu que acompanho o marcelo tas e não fiz a bobagem de parar posso atestar que a proposta tem sido cumprida. não há babação de ovo do produto nem nada que abale a credibilidade do jornalista, apenas uma pequena hashtag indicando que aquele link indicado será bem melhor experienciado (existe esse verbo?) se você tiver uma bela banda bem larga. hashtag esta que só faz sentido pra quem procura saber mais, quem tá por fora continua recebendo um twit como muitos outros que o tas sempre mandou. nada invasivo, nada artificial, nada demoníaco.

pra variar, acabei me alongando no que deveria ser apenas a introdução. o fato é que, como publicitária que trabalha com mídias sociais, eu achei essa campanha fantástica! é claro que eu também odeio spam, por email, twit ou uoréva, mas daí a condenar toda e qualquer publicidade que use essas mídias é não apenas uma burrice, mas também um contra-senso. pois se trabalho numa agência que planeja ações em mídias sociais, é gratificante ver que é possível desenvolver uma ação que use o twitter com credibilidade, transparência e conteúdo relevante.

é uma revolução? não sei, eu diria que é uma evolução. uma evolução que beneficia a todos. não vejo porque o marcelo tas pode "ofender" algum seguidor ao aceitar participar dessa ação mais do que a xuxa poderia ofender seu público tentando nos convencer, na tv, que ela usa monange (alguém aí realmente acredita nisso?). a diferença é que no caso do twitter o link para o unfollow está ali na sua cara, ninguém é obrigado a receber qualquer conteúdo que não queira. os menos radicais também têm toda a facilidade para interagir com o emissor da mensagem, seja com dúvidas ou críticas (pena que muitos não saibam fazer isso de forma civilizada, mas aí a questão é outra).

eu, particularmente, espero ver outras ações criativas como essa. não tenho a ilusão de que a horda do mimimi vai compreender isso tudo que eu falei, mas felizmente o unfollow taí pra eles também.

Postado por Clarice, domingo, abril 05, 2009.


_________________________________________________________


Comentários:

Será que ter uma posição contraria a algo daqui pra frente sempre será reduzido a "mimimi"?

ps: o captcha aqui embaixo tinha a palavra "pants"... Velhos tempos!
# posted by Blogger [caiocesar] : 8 de abril de 2009 10:14
 
de jeito nenhum, caio!

eu respeito muito a opinião contrária e prezo demais o debate baseado em argumentação. inclusive, não concordo com sua posição, mas não acho que o seu post sobre o assunto seja mimimi.

mimimi é a reclamação vazia e repetitiva que costuma assolar o twitter. que não acrescenta nada a um debate que eu acho interessante sim e ainda esgota a paciência do interlocutor.

eu prefiro mil vezes receber bom conteúdo patrocinado do que todo esse mimimi espontâneo...

(ps: velhos tempos mesmo! vc já parou pra pensar que naquele tempo a gente mal mal usava email?)
# posted by Blogger Clarice : 8 de abril de 2009 10:30
 
Pois é, Clarice. O que parece é que existem apenas duas posições na história: 8 e 80. Mas não é assim. Queria ver alguém para discutir os impactos de o Tas vender suas opiniões. Será que é a mesma coisa de você colocar um espaço para banner no seu site? Eu acho que são coisas diferentes. Tanto no que se relaciona a resultados para quem anuncia quanto para o que se relaciona a credibilidade do editor.
O fato é que quando o assunto vem à pauta, é costume taxar a coisa de mimimi e/ou de recalque.
Fogo... Mas entendi o seu ponto. Só queria era dizer aquilo mesmo.

Em tempo: naquela época a internet parece que era outra coisa, né?
# posted by Blogger [caiocesar] : 8 de abril de 2009 14:26
 
Postar um comentário

Voltar para o início


Clarice Maia Scotti - design gráfico & web
Contato: cmscotti@gmail.com